Gestão da Carreira

Mais uma anotação dos cursos que estou fazendo. É um curso da empresa SapiênCia.

  • Segundo Douglas T. Hall carreira é um conjunto de atitudes, comportamentos e atividades que resultam em experiência e conduzem as pessoas a obterem sucesso em suas vidas profissionais.
  • Sem desejo você não conseguirá alcançar seus objetivos. Caso ainda não tenha certeza do que quer, explore algumas opções, consulte pessoas de sua confiança, peça conselhos e pesquise profissões que lhe agradam. O desejo é o que o levará a uma decisão.
  • A decisão é o que leva você a agir e transformar um plano em metas definidas. É a decisão que dá ação ao sonho, para transformá-lo em realidade. Porém, a ação não caminha sozinha, ela precisa de uma energia chamada dedicação.
  • Dedicação é o empenho e o esforço que você emprega na busca do que deseja. Você só consegue manter a dedicação se tive determinação.
  • É a determinação que motiva a superar os obstáculos, a vencer os desafios e a continuar na perseguição dos objetivos, realinhando e ajustando o plano de carreira para competir pelas oportunidades e atingir as metas, alcançando os objetivos. Nessa jornada, você precisará de discernimento.
  • Por meio do discernimento, você poderá avaliar o que já foi realizado e as oportunidades que ainda virão.
  • Você precisará ter muita disciplina para seguir rumo às metas, sem se distrair nem desviar do caminho traçado.
  • Ao observar os 6Ds, podemos concluir que o sucesso na carreira depende não só do conhecimento técnico que aplicamos na execução de um projeto, mas também do próprio empenho, ou seja, daquela força que temos dentro de nós: a paixão.
  • Mas, de nada adianta ter paixão se não houver planejamento.
  • Em suas decisões, reveja as metas estabelecidas periodicamente, para realizar os ajustes quando necessário. Lembre-se de que um plano nunca é definitivo.
  • Procure conhecer a si mesmo e identificar suas aptidões, interesses e características de personalidade, pois são fatores importantes para o desempenho da profissão de forma competente e produtiva. Quanto mais você conhecer a si mesmo, mais fácil será tomar decisões.
  • O autoconhecimento permite:
    • saber o que se quer
    • conhecer suas próprias limitações
    • conhecer suas forças
    • conhecer pensamentos, crenças e valores
    • saber o que se sente
  • Resumo
    • Estabeleça metas de curto, médio e longo prazo e determine prazos para as metas, pois, quanto mais claro for o objetivo, mais chances você terá de concretizá-lo e de tomar as decisões corretas.
    • É importante que você organize suas finanças pessoais com base nas metas, definindo os recursos que serão necessários para realizá-las. Verifique a possibilidade de economizar e procure se programar para eventualidades mantendo uma reserva financeira.
    • Fique atenta às novas tendências, pois elas podem ser grandes oportunidades de carreira.
    • Em suas decisões, reveja as metas estabelecidas periodicamente, para realizar os ajustes quando necessário. Lembre-se de que um plano nunca é definitivo.
    • Avalie-se quanto às características pessoais e de personalidade. Descubra seus limites, desejos, medos e aspirações sinceras. Desse modo, as chanves de evitar erros são maiores.
    • Seu comportamento pode contribuir para um bom relacionamento com os colegas de trabalho. Tenha em mente que as pessoas também podem ajudá-lo a atingir seus objetivos profissionais.
    • As emoções, como raiva, ansiedade, angústia, medo, prazer, alegria e tristeza, afetam o desempenho profissional. saber administrá-las é fator determinantes para potencializar seu desempenho e obter sucesso.
  • É importante que você tenha pelo menos uma atividade pessoal por dia em sua agenda, além dos fins de semana.

Técnicas de Apresentação

Mais uma anotação dos cursos que estou fazendo. É um curso da empresa SapiênCia.

  • Modelos de apresentação
    • Reunião de informações
      • introduza a apresentação: motive a audiência.
      • explique o que será discutido e o objetivo em vista
      • abra o assunto para discussão
      • resuma o resultado da discussão
      • se necessário, dê um resultado/fechamento de conclusão da apresentação
    • Divulgação de uma ideia ou situação
      • introduza a apresentação dando alguma ideia de ser propósito – inclua a necessidade de decisão e compromisso
      • explique a necessidade da nova ideia. Ela represenat um prograsso continuado ou uma diversificação?
      • explique a ideia
      • explique os resultados e benefícios que podem ser originados pela ideia
      • resuma os pontos principais de sua apresentação e aponte quem pode ajudar a transformar sua ideia em realidade
    • Venda de uma ideia ou curso de Ação
      • introduza a apresentação: identifique brevemente o assunto, enfatizando todos os interesses em comum que possam estar envolvidos
      • explique por que essa ação precisa ser executada. Seja honesto e aberto. Se determinada informação precisar ser omitida, ,explique que ela é confidencial
      • explique exatamente que a ação precisa ser execotuda e por quem, mostrando como você reduziu qualquer elemento negativo ao mínimo
      • enfatize os elementos positivos da ação proposta
      • resuma o conteúdo de sua apresentação e peça que as pessoas deem seu apoio ou façam propostas
    • Levantamento de um Problema (busca de sua sollução)
      • introduza a apresentação: deixe claro se a apresentação pretende simplesmente salientar o problema ou se você espera algum tipo de resposta da audiência.
      • defina o problema (incluindo todas as informações de contexto relevantes e informações “históricas”)
      • explique as consequências significativas do problema: quem e/ou o que ele afeta, em que consiste o problema etc.
      • quais são as consequências possíveis/prováveis de deixar o problema sem solução ou de enfrentá-lo
    • Transmitir informações
      • introduza a apresentação: explique do que se trata a apresentação e quais as pessoas podem ser dispensadas dela
      • informe fatos que contextualizem a apresentação e as novas informações
      • explique de maneira clara e simples as novas informações
      • faça uma segunda revisão das informações com detalhes e evidências: fatos, exemplos, comparações e estatísticas
      • resuma as informações, mostrando como elas afetam as pessoas da audiência. Mostre qual é a influência dessas informações dentro da empresa
  • Quatro maneiras de combinar texto e imagem
    • Redundante: os mesmos elementos são reproduzidos em imagem e em texto. visualizando os dois juntos, obtém-se a ideia principal do que está sendo representado. Fecha-se o ciclo de uma ideia.
    • Complementar: elementos textuais e gráficos possuem conteúdos diferentes, se complementam. Ao ver os dois, é possível entender a ideia principal. é o encaixe perfeito de duas peças.
    • Cenário: um elemento define um contexto, um cenário, uma situação. O segundo conta uma história ou faz uma explicação desse cenário/contexto. É o pano de fundo da sua mensagem.
    • Suplementar: conteúdos diferentes de imagem e texto. Um apresenta mais importância, com as ideias principais. O outro reforça, elabora ou explica, mudando até o significado geral. è como uma vela em um bolo de aniversário. Sem ela, seria apenas um bolo.
  • Conhecendo seu público
    • quem vai assistir à apresentação e qual é o nível de importância ou nível hierárquico dessas pessoas
    • quem toma as decisões (se for importante)?
    • a atitude inicial das pessoas provavelmente será favorável, neutra ou contrária?
    • as pessoas vão assistir à sua apresentação por interesse próprio?
    • faz sentido fazer sua apresentação se determinadas pessoas não puderem comparecer?
    • até que ponto elas conhecem o assunto?
    • elas vão entender a linguagem técnica que você vai usar?
    • o que as pessoas esperam de você?
    • como você pode apresentar seu material para encorajar uma resposta positiva (e evitar uma reação negativa)?
  • Checklist
    • Programação
      • nome da apresentação/reunião/evento
      • data
      • horário
      • local
      • invite/convite dos participantes
    • Equipamentos
      • microfone
      • flip chart
      • quadro branco
      • projetor
      • pc
      • ligação de rede
      • internet
      • cadeiras
      • mesas
    • Materiais
      • canetas
      • bloco de anotações
      • clipes
      • folhas para flip chart
      • pincel atomico
      • caneta para quadro branco
      • apagador
      • mouse
  • Se você precisar de fazer anotações no flip chart ou no quadro branco, não deixe o silêncio tomar conta da apresentação. Faça as anotações falando-as em voz alta. Caso a anotação seja relativamente extensa, peça licença para fazê-la.
  • O início é um dos pontos principais de sua apresentação. Você pode iniciar sua apresentação utilizando:
    • uma afirmação imprevista: “Vocês sabiam que 70% dos executivos estão estressados?”
    • perguntas relacionadas às necessidades: “Quem neste auditório gostaria de ganhar um milhão?”
    • Mistério: “Vocês sabem o que acontecerá nos próximos 10 minutos?”
    • Gancho sobre o tema: “Alguém aqui conhece essa nova ferramenta de comunicação?”
  • A última impressão é a que fica.
    • resuma em poucas palavras/tempo. No máximo 5 minutos.
    • lançar um desafio. Ideal para motivar uma equipe de trabalho ou convencer o público a tomar determinada atitude.

guia de exercicios - tecnicas de apresentacao

Profissional de alto desempenho

Olá, este é mais um curso que fiz no meu novo trabalho e que quero compartilhar com vocês. Feito pela empresa SapiênCia em parceria com Pedro Mandelli. O curso “Profissional de alto desempenho” leva o aluno a refletir sobre sua postura profissional e instiga-o a rever suas práticas ao construir uma carreira de sucesso.

  • Atuar com foco em resultados
  • Assumir riscos
  • Buscar inovação constantemente
  • Ver o trabalho em equipe como oportunidade de aprendizado e crescimento profissional
  • Responsabilizar-se por seu próprio desenvolvimento
  • Duas competências fundamentais para o profissional moderno:
    • Ter a consciência do cenário enfrentado pelas empresas
    • Fazer um autodiagnóstico claro e preciso das próprias falhas e capacidades profissionais
  • O autodiagnóstico permite que o profissional tome consciência de comportamentos que:
    • o ajudam a realizar tarefas
    • o atrapalham na execução de tarefas e
    • o ajuda mas nem sempre colaboram para os resultados da organização
  • Benefícios em assumir riscos
    • melhora da qualidade de seu trabalho
    • desenvolvimento de aptidões gerenciais
    • aumento de seu comprometimento, motivação e desempenho
    • ampliação de seu grau de responsabilidade sobre aspectos operacionais e gerenciais
    • ampliação de aptidões e conhecimento e sua disponibilização ao departamento
    • colaboração com o aumento da velocidade de resposta de sua área
    • colaboração para obtenção de melhores resultados
    • Resumo
      • diante de problemas e obstáculos encontrados em nosso cotidiano, não podemos ficar de braços cruzados
      • um profissional com desempenho acima da média se responsabiliza pela tomada de decisão e se compromente com os riscos inerentes a ela
      • antes de decidir, identifique possíveis soluções e avalie os riscos relacionados a elas.
  • Inovando para ganhar credibilidade
    • é preciso ampliar seu nível de exposição na empresa para, assim, aumentar sua credibilidade profissional
    • para estar mais exposto na organização é preciso inovar
    • para conduzir projetos inovadores, você deve estar preparado para interagir com o sistema social da organização
    • antes de inovar é preciso avaliar o tamanho de sua ideia e adequa-la ao tamanho de sua credibilidade na empresa
    • para transformar sua proposta em um projeto viável, você deve contar com o  apoio de um patrocinador e estabelecer parcerias

Significado do Trabalho

Ingressei em meu novo emprego há uns dias e venho fazendo os cursos de treinamento e ambientação. E me surpreendi com estes, pois são de alta qualidade. Muitas pessoas acham chato fazer este tipo de treinamento, mas eu gosto de sempre aprender e revisar meus conhecimentos, mesmo que sejam do campo filosófico, ético e social. É um curso da empresa SapiênCia em conjunto com o Ricardo Guimarães da Thymus Branding. Então segue aqui um resumo em tópicos do conteúdo.

Objetivo: Gerar compreensão e reflexão profunda sobre o Significado do Trabalho no mundo atual e o seu impacto para o indivíduo, a equipe, a empresa, o mercado e a sociedade.

  • Pirâmide de maslow: físico/material, emocional e filosófico.
  • “Quanto mais significado melhor”
  • Busque cada vez mais significado no trabalho
  • O Taylorismo fez com que nossa sociedade fosse mais produtivo num cenário previsível e instável. Mas com a tecnologia da informação o mundo se tornou globalizado e hoje precisamos de pessoas sensíveis, capazes de aprender e evoluir.
  • Esse novo mundo humaniza as empresas, pois precisa da capacidade delas de pensar e adaptar. Não somos mais peças de um sistema fabril.
  • Hoje temos que formar o indivíduo antes do funcionário, pois o indivíduo é sensível e evolui.
  • Será o vencedor não o mais forte mas o mais ágil.
  • Livro: Power to the Edge. David S. Alberts, Richard E. Hayes (2003). Download
  • A vida no aquário é artificial e a vida no oceano é como ela é
  • A vida no oceano é uma negociação permanente
  • Você vive no aquário, onde o seu dono coloca oxigênio e comida na hora certa ou você vive no oceano onde tem que lutar pela sua sobrevivência?
  • 2 capacidades: criar valor e gerenciar risco
  • Significado e sucesso profissional: o que funciona para mim, e para a equipe, e para a área, e para a empresa, e para o mercado, e para a sociedade, e para o planeta.
  • Quanto mais significado mais satisfação
  • By the book, fazer segundo o manual. By the soul, fazer seguindo a a alma.
  • Atitude by the soul constrói autonomia de pensamento.
  • Significado, meta e norte.
  • Planejar é prever ações que permitam sair do ponto A para o ponto B
  • Exemplo do enxame de abelhas que persegue um norte e tem uma meta. Quando o alvo muda de lugar imediamente o grupo se autoorganiza para cumprir a meta e continuar perseguindo o norte. Outro indivíduo mais capacitado assume a liderança e o grupo todo consegue cumprir a meta e chegar ao norte.
  • Como eles conseguem?
    • todos os membros do enxame sabem que são abelhas, tem clareza da sua identidade como indivíduo e como grupo.
    • todos sabem o que procuram. Conhecem o alvo
    • cada um tem a consciência da sua posição que ocupa no grupo e da sua responsabilidade individual
    • todos sabem ler cenários e comunicar o que vem ao grupo
  • “Todo artista é escravo do seu dom”
  • Keith Jarred
  • O fazer pelo fazer bem feito
  • Tire o máximo de significado do seu trabalho pelo simples prazer de fazer bem feito, inteiro, com alma. E sem lamentos por pior que sejam as condições. O resto, prestígio e dinheiro e reconhecimento virão por consequência.

Ps.: esta é uma versão inicial, posteriormente estruturar e formatar melhor o texto.

Ataques de Mão – As armas do Karatê

Atenção especial deve ser dada aos principiantes, é o fechamento da mão. Geralmente eles apenas a fecham sem estarem contraídas devidamente, ou costumam fechar a mão segurando o polegar dentro, o que irá causar a quebra, luxação ou entorse do mesmo em caso de contato, principalmente se for para bloquear algum golpe forte como um geri (chute).
Como fechar a mão:

  •       Estenda os dedos e alinhe o dedo indicador, o dedo médio, o anelar e o mínimo.

  •       Dobre os quatro dedos para dentro, começando com o dedo mínimo, seguido por cada dedo.

  •       Dobre os dedos para dentro até as pontas de eles tocarem na sua base.

  •       Continue dobrando os quatro dedos para dentro, com muita firmeza na palma.

  •       Dobre o polegar para baixo para que ele pressione firmemente os dedos indicadores e médios. Pressione o polegar e o dedo mínimo firmemente entre os outros para formar um punho forte

ataques de mao 1

SEIKEN (Punho frontal)

É o mais comumente usado em Karate, e a prática frequente garante a forma correta. No SEKEN as primeiras juntas dos dedos indicadores e médios são usadas para atingir o alvo. O punho é mantido em linha reta de modo que o dorso da mão e a parte do pulso tracem uma linha reta, permitindo que toda a energia de um soco se concentre na frente do punho no local das duas primeiras juntas. O pulso deve ser mantido rígido e reto em todos os momentos, um punho dobrado pode resultar em ferimentos quando o soco for dado.

ataques de mao 2

URAKEN (Punho invertido)

Formado da mesma maneira que o Seiken pode ser usado para ataques ao rosto e á lateral do corpo. O dorso da mão, em torno das primeiras juntas dos dedos indicadores e médios, é usado para atingir o alvo. Para dar um potente soco URAKEN o braço é usado como um chicote, fazendo uma pressão na altura do cotovelo. Sem a pressão do cotovelo, o soco URAKEN perde a sua eficácia.

ataques de mao 3

TETTSUI (Punho fechado)

Também formado da mesma maneira que o seiken, o TETTSUI pode ser usado para golpes na cabeça e no corpo. A base do soco é usada para acertar o alvo e, como o uraken, a sua eficácia depende da mobilidade do cotovelo.

ataques de mao 4

IPPON-KEN (punho com uma junta do dedo)

O IPPON-KEN é parecido com o seiken, exceto que a segunda junta do dedo indicador se sobressai, com o dedo indicador dobrado firmemente imprensando entre a polpa do polegar e o dedo médio. A junta saliente do dedo indicador é usada para atacar os pontos vulneráveis, como a ponte nasal e a área abaixo do nariz, tornando i IPPON-KEN uma arma muito eficaz.

ataques de mao 5

NAKADAKA IPPON-KEN (Punho de uma junta do dedo médio)

É formado de mesma maneira que o seiken, exceto que a primeira articulação conjunta do dedo médio se sobressai. A junta saliente é utilizada para atingir o alvo da mesma forma que o ippon-ken

ataques de mao 6

HIRAKEN (Punho frontal com a junta)

Forma-se o HIRAKEN dobrando o indicador, o médio, o anular e o mínimo de modo que as pontas dos dedos tocam a borda da palma atrás das primeiras articulações. A polpa do polegar é pressionada contra a lateral do dedo indicador. O HIRAKEN pode ser usado em ataques a pontos vulneráveis, tais como a área abaixo do nariz.

ataques de mao 7

NUKITE (Mão em ponta de lança)

Enquanto o termo NUKITE é normalmente usado para se referir ao SHIHON (quatro dedos) NUKITE, existem outros tipos de NUKITE como: Nihon (NUKITE com dois dedos) e ippon (NUKITE com um dedo). Uma vez que as pontas dos dedos são usadas para atingir o alvo, elas estão sujeitas a uma quantidade enorme de stress. Para evitar torções e outros acidentes possíveis, é recomendado fortalecer regularmente os dedos com uma bola de tênis ou fazer flexão usando ao invés da palma, os dedos, e com a evolução poderia alternar os dedos usando três ou até dois dedos com o tempo.

ataques de mao 8

NIHON-NUKITE (Mão em ponta de lança com dois dedos)

No NIHON-NUKITE, que pode ser usado para ataques visando os olhos e o nariz, o indicador e o médio ficam estendidos e levemente curvados.

ataques de mao 9

IPPON-NUKITE (Mão em ponta de lança com um dedo)

Para formar o IPPON-NUKITE o dedo indicador fica estendido e levemente curvado, enquanto o médio, indicador e o mínimo ficam fortemente dobrados para trás como o hiraken. O dedo indicador fica firmemente prensado entre o polegar e o dedo médio. O IPPON-NUKITE pode ser usado para ataques dirigidos a pontos vulneráveis como os olhos e outros pontos vitais.

ataques de mao 10

HAISHU (Costas da mão)

O HAISHU é usado mais para defesa, onde a área de contato é as costas da mão.ataques de mao 11

SHUTÔ (Faca da mão)

No SHUTÔ  a borda externa da mão abaixo do dedo mínimo é utilizada como uma espada para bloquear ou atacar. O indicador, o médio, o anular e os mínimos ficam alinhados e estendidos enquanto o polegar fica bem apertado contra a borda da mão.

ataques de mao 12

HAITÔ (Aresta da mão)

No HAITÔ a borda da mão em torno da primeira articulação do dedo indicador é utilizada como uma espada para bloquear ou atacar. Comparando com o shutô, o polegar fica mais puxado para dentro em direção á palma da mão.

ataques de mao 13

SEIRYÛTÔ (Mão de mandíbula de boi)

No SIRYÛTÔ a borda da mão externa da mão perto do punho atinge o alvo. O punho é dobrado para trás conforme a borda inferior da mão é impulsionada para fora para defesa ou ataque.

ataques de mao 14

TEISHÔ (Base da palma)

Forma-se o TEISHÔ curvando o punho ara cima e empurrando o cutelo da mão para frente. O cutelo é empurrado para frente bruscamente para ataques ao queixo ou qualquer outra parte, assim como para bloqueio.

ataques de mao 15

KEITÔ (Defesa com a mão em crista de galo)

No KEITÔ a base e a primeira junta do polegar são usadas para golpear visando à axila ou o braço que dá o soco. A mão fica dobrada ao pulso de modo que a base do polegar fique em consonância com a parte de cima do antebraço.

ataques de mao 16

YOKOKEN (Punho lateral)

No YOKOKEN, formado da mesma maneira que o ippon-ken, a segunda junta do polegar é usada para atingir o alvo. É eficaz em ataques direcionados a esses pontos vulneráveis, como a traqueia.

ataques de mao 17

KAKUTÔ (Pulso dobrado)

No KAKUTÔ o punho é dobrado para baixo e a parte superior do pulso é usada para atingir o alvo. O KAKUTÔ é altamente eficaz em ataques ao queixo.

ataques de mao 18

WASHIDE (Mão de águia)

No WASHIDE as pontas dos cinco dedos ficam comprimidas para formar um ponto, de aparência semelhante a um bico de pássaro, usadas para ataques a pontos vulneráveis, tais como a garganta e a traqueia. Sendo um ataque eficaz, devem ser tomados os cuidados para evitar torção nos dedos e outras lesões.

ataques de mao 19

KUMADE (Mão de urso)

No KUMADE, formado ao dobrar os dedos e o polegar, assim as pontas dos dedos apenas tocam a borda da palma, a palma é utilizada para atingir o alvo. A palma é empurrada para fora bruscamente, fazendo do KUMADDE uma arma eficaz para ataques á face. 

ataques de mao 20

UDE (Braço)

A maioria das técnicas básicas de bloqueio empregadas no Karatê é realizada com os braços. O antebraço, que pode ser usado quase por inteiro para bloqueio, é dividido em quatro regiões de base longitudinal:

UCHI-UDE – braço interno, o lado do polegar do antebraço.

ataques de mao 21

SOTO-UDE – braço exterior, o lado do dedo mínimo do antebraço.

HAIWAN – braço para trás,  a superfície posterior do antebraço ligado ao dorso da mão.

FUKUWAN – barriga do braço, a superfície anterior do antebraço que se liga á palma.

ataques de mao 22

EMPI (Cotovelo)

Ao enfrentar um adversário de perto, o cotovelo pode ser usado como uma arma eficaz para ataques ao rosto, queixo, plexo solar e lateral do corpo. Também é adequado o uso do cotovelo em aplicações de autodefesa

ataques de mao 23

Bases do Karatê

bases do karate

As Bases do Karatê são os pontos fundamentais para o karateca desenvolver suas técnicas de ataque e de defesa. A base traz equilíbrio e estabilidade para os golpes.

Falamos DACHI (posições) quando queremos nos referir à parte dos quadris e pernas, ou seja, a parte inferior do corpo, cada postura foi concebida para um objetivo específico.

Hangetsu-Dachi (postura de meia lua) é útil tanto para defesa quanto para o ataque, mas tende ser mais apropriado para a defesa, o hangetsu kata (exercício formal da meia lua transmite uma sensação rítmica).

bases do karate 1

Heisoku-Dachi ( postura informal de atenção) mantenha os pés paralelos e tocando-se , joelhos retos e relaxados.

bases do karate 2

Kiba-Dachi ( postura do cavaleiro) para executar apropriadamente , flexione os joelhos e mantenha o tronco perpendicular ao solo e fique voltado diretamente  à frente, essa postura da a impressão de um homem montado em um cavalo.

bases do karate 3

Zenkutsu-Dachi ( postura avançada) aponte o pé da frente ligeiramente para dentro, vire o pé de trás para a frente o máximo possível, de modo que ambos os pés apontem aproximadamente na mesma direção, coloque o joelho da perna da frente numa posição tal , que uma linha vertical projetada do seu centro caia exatamente junto à bolsa interna do pé.

bases do karate 4

Kokutsu-Dachi ( postura recuada) mantenha os quadris baixos, dobre o joelho da perna de trás adequadamente e estenda aperna anterior para frente, esta postura é vigorosa para trás e muito útil ao bloquear, é uma posição ideal a assumir para bloquear um ataque que venha de frente e então , mudando para a postura avançada, desferir um contra-ataque imediato.

bases do karate 5

Musubi-Dachi ( postura informal de atenção, pés para fora) esta postura é em tudo semelhante ao heisoku-dachi, menos na posição dos pés , que apontam para fora em ângulos de 45º , calcanhares unidos.

bases do karate 6

Nekoachi-Dachi (postura do gato)  favorece a relação tensão/flexão das articulações, devido ao fato de o lutador permanecer numa forma em que parece um felino, pronto para uma ação. E, posto que o peso do praticante apresenta-se pouco mais concentrado na perna traseira, estas podem rapidamente mover-se. 

bases do karate 7

Santin-Dachi -O um pé avança somente até a distância de outro pé mas o pé avançado aponta para dentro e os joelhos ficam flexionados para dentro e os pés pressionam firme o chão o tronco fica ereto  e os quadris contraem. Contrai também a musculatura das coxas e nádegas, no fito de travar o tanden esta postura proporciona excelente solidez para a execução de técnicas defensivas e evasivas, que devem ser realizadas controle da respiração ,cuja finalidade é o correto trabalho da energia .

bases do karate 8

Uchi Hachiji Dachi– é composta desde a base hachiji dachi, mas invertendo-se as posições dos pés para dentro, isto é, o vértice do ângulo muda do calcanhar para a ponta dos pés.

bases do karate 9

Hachiji Dachi – é formada numa postura bastante natural, com pernas eretas e paralelas à distância dos ombros e os pés abertos em aproximadamente 45º

bases do karate 10

  Renoji- Dachi – é feita com apoio maior do corpo no pé traseiro, que fica posicionado num ângulo de 90º em relação ao dianteiro. A distância entre os pés é a largura dos ombros, ficando o pé frontal apontado diretamente para frente. Caso seja necessário recuar, o pé dianteiro tem possibilidade de fazê-lo, tocando-se os calcanhares. O nome da base vem da forma do caractere kanji レ.

bases do karate 11

 

 

Reading and writing files in Java

Let’s begin by reading, first we create the file we will use. In fact we will not create the file by Java, we create the object of type File, the file itself must already exist in the specified path.

File readingFile= new File("/home/developer/readingFile.txt");

In my case, I specified the full path of the file because it did not work with the file in the current directory, if you delete the file path, Java will search for the file in the application directory. Then we create the streams for file access.

InputStream reading = new FileInputStream(readingFile);
InputStreamReader rReading = new InputStreamReader(reading );
BufferedReader bReading = new BufferedReader(rReading );

The InputStream class reads bytes from a source, in our case, a. The InputStreamReader class causes the return stream is shaped character, and not in the form of bytes as in InputStream. Finally, the BufferedReader, that reads the text to be faster and more efficient, consuming less memory. Below is an example of what the reading of this file.

String readingText = bReading.readLine();
while(readingText != null){
    System.out.println(readingText );
    readingText = bReading.readLine();
}

The above code needs to be put in a try / catch block because two important exceptions need to be addressed, the FileNotFoundException and IOException, which are respectively the exception for file not found and an error reading stream. After the use of streams, all should be closed with the close() method.

Now writing will not matter if you understand the code above, you will not have difficulties. We will also use three classes, the OutputStream, OutputStreamWriter and BufferedWriter. Below, an example of writing code.

File writingFile = new File("/home/developer/writingFile .txt");
OutputStream writing = new FileOutputStream(writingFile );
OutputStreamWriter wWriting = new OutputStreamWriter(writing );
BufferedWriter bWriting = new BufferedWriter(wWriting );

bWriting.write("This will be the text that will save your file.\n");
bWriting.close();
wWriting.close();
writing .close();

There are other ways to make reading and writing files in Java, I showed what I believe is didactically more interesting by showing better functioning of streams classes. Elsewhere Can I return to the theme and show other ways to work with files.

10 basic examples of Linux ps command

Linux ps command

The ps command on linux is one of the most basic commands for viewing the processes running on the system. It provides a snapshot of the current processes along with detailed information like user id, cpu usage, memory usage, command name etc. It does not display data in real time like top or htop commands. But even though being simpler in features and output it is still an essential process management/monitoring tool that every linux newbie should know about and learn well.

In this post we are going to revise the basics of using the ps command to check the processes and filter and sort them in different ways to suit better.

Note on syntax

The ps command comes with an unusual set of 2 syntax styles. That is BSD and UNIX both. New users are often confused with and mis-interpret the two styles. So here is some basic info to get it clear before moving on.

Note : "ps aux" is not the same as "ps -aux". For example "-u" is used to show process of that user. But "u" means show detailed information.

BSD style – The options in bsd style syntax are not preceded with a dash.

ps aux

UNIX/LINUX style – The options in linux style syntax are preceded by a dash as usual.

ps -ef
It is okay to mix both the syntax styles on linux systems. For example "ps ax -f".
But in this post we shall mostly focus on the unix style syntax.

How to use ps command

1. Display all processes

The following command will give a full list of processes

$ ps ax
$ ps -ef

Pipe the output to “less” to make it scrollable.

Use the “u” option or “-f” option to display detailed information about the processes

$ ps aux
$ ps -ef -f
Why is the USER column not displaying my username, but showing others like root, www-data etc ?

For all usernames (including yours) if the length is greater than 8 characters then ps will fall back to show only the UID instead of username.

2. Display process by user

To filter the processes by the owning user use the “-u” option followed by the username. Multiple usernames can be provided separated by a comma.

$ ps -f -u www-data
UID        PID  PPID  C STIME TTY          TIME CMD
www-data  1329  1328  0 09:32 ?        00:00:00 nginx: worker process
www-data  1330  1328  0 09:32 ?        00:00:00 nginx: worker process
www-data  1332  1328  0 09:32 ?        00:00:00 nginx: worker process
www-data  1377  1372  0 09:32 ?        00:00:00 php-fpm: pool a.localhost                                               
www-data  1378  1372  0 09:32 ?        00:00:00 php-fpm: pool a.localhost                                               
www-data  4524  2359  0 10:03 ?        00:00:00 /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4527  2359  0 10:03 ?        00:00:00 /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4528  2359  0 10:03 ?        00:00:00 /usr/sbin/apache2 -k start

3. Show process by name or process id

To search the processes by their name or command use the “-C” option followed by the search term.

$ ps -C apache2
  PID TTY          TIME CMD
 2359 ?        00:00:00 apache2
 4524 ?        00:00:00 apache2
 4525 ?        00:00:00 apache2
...

To display processes by process id, use the “-p” option and provides the process ids separated by comma.

$ ps -f  -p 3150,7298,6544

The “-C” must be provided with the exact process name and it cannot actually search with a partial name or wildcard. To search the process list more flexibly, the usual grep command has to be used

$ ps -ef | grep apache

4. Sort process by cpu or memory usage

System administrators often want to find out processes that are consuming lots of memory or CPU. The sort option will sort the process list based on a particular field or parameter.

Multiple fields can be specified with the “–sort” option separated by a comma. Additionally the fields can be prefixed with a “-” or “+” symbol indicating descending or ascending sort respectively. There are lots of parameters on which the process list can be sorted. Check the man page for the complete list.

$ ps aux --sort=-pcpu,+pmem

Display the top 5 processes consuming most of the cpu.

$ ps aux --sort=-pcpu | head -5
USER       PID %CPU %MEM    VSZ   RSS TTY      STAT START   TIME COMMAND
root         1  2.6  0.7  51396  7644 ?        Ss   02:02   0:03 /usr/lib/systemd/systemd --switched-root --system --deserialize 23
root      1249  2.6  3.0 355800 30896 tty1     Rsl+ 02:02   0:02 /usr/bin/X -background none :0 vt01 -nolisten tcp
root       508  2.4  1.6 248488 16776 ?        Ss   02:02   0:03 /usr/bin/python /usr/sbin/firewalld --nofork
silver    1525  2.1  2.3 448568 24392 ?        S    02:03   0:01 /usr/bin/python /usr/share/system-config-printer/applet.py

5. Display process hierarchy in a tree style

Many processes are actually forked out of some parent process, and knowing this parent child relationship is often helpful. The ‘–forest’ option will construct an ascii art style tree view of the process hierarchy.

The following command will search for processes by the name apache2 and construct a tree and display detailed information.

$ ps -f --forest -C apache2
UID        PID  PPID  C STIME TTY          TIME CMD
root      2359     1  0 09:32 ?        00:00:00 /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4524  2359  0 10:03 ?        00:00:00  \_ /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4525  2359  0 10:03 ?        00:00:00  \_ /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4526  2359  0 10:03 ?        00:00:00  \_ /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4527  2359  0 10:03 ?        00:00:00  \_ /usr/sbin/apache2 -k start
www-data  4528  2359  0 10:03 ?        00:00:00  \_ /usr/sbin/apache2 -k start
Try not to use any sorting with the tree style display, as they both effect the order of display in different ways.

6. Display child processes of a parent process

Here is an example of finding all forked apache processes.

$ ps -o pid,uname,comm -C apache2
  PID USER     COMMAND
 2359 root     apache2
 4524 www-data apache2
 4525 www-data apache2
 4526 www-data apache2
 4527 www-data apache2
 4528 www-data apache2

The first process that is owned by root is the main apache2 process and all other apache2 processes have been forked out of this main process. The next command lists all child apache2 processes using the pid of the main apache2 process

$ ps --ppid 2359
  PID TTY          TIME CMD
 4524 ?        00:00:00 apache2
 4525 ?        00:00:00 apache2
 4526 ?        00:00:00 apache2
 4527 ?        00:00:00 apache2
 4528 ?        00:00:00 apache2

7. Display threads of a process

The “-L” option will display the threads along with the processes. It can be used to display all threads of a particular process or all processes.

The following command shall display all the threads owned by the process with id 3150.

$ ps -p 3150 -L

8. Change the columns to display

The ps command can be configured to show a selected list of columns only. There are a large number of columns to to show and the full list is available in the man pages.

The following command shows only the pid, username, cpu, memory and command columns.

$ ps -e -o pid,uname,pcpu,pmem,comm

It is possible to rename the column labels

$ ps -e -o pid,uname=USERNAME,pcpu=CPU_USAGE,pmem,comm
  PID USERNAME CPU_USAGE %MEM COMMAND
    1 root           0.0  0.0 init
    2 root           0.0  0.0 kthreadd
    3 root           0.0  0.0 ksoftirqd/0
    4 root           0.0  0.0 kworker/0:0
    5 root           0.0  0.0 kworker/0:0H
    7 root           0.0  0.0 migration/0
    8 root           0.0  0.0 rcu_bh
    9 root           0.0  0.0 rcuob/0
   10 root           0.0  0.0 rcuob/1

Quite flexible.

9. Display elapsed time of processes

The elapsed time indicates, how long the process has been running for. The column for elapsed time is not shown by default, and has to be brought in using the “-o” option

$ ps -e -o pid,comm,etime

10. Turn ps into an realtime process viewer

As usual, the watch command can be used to turn ps into a realtime process reporter. Simple example is like this

$ watch -n 1 'ps -e -o pid,uname,cmd,pmem,pcpu --sort=-pmem,-pcpu | head -15'

The output on my desktop is something like this.

Every 1.0s: ps -e -o pid,uname,cmd,pmem,pcpu --...  Sun Dec  1 18:16:08 2013

  PID USER     CMD                         %MEM %CPU
 3800 1000     /opt/google/chrome/chrome -  4.6  1.4
 7492 1000     /opt/google/chrome/chrome -  2.7  1.4
 3150 1000     /opt/google/chrome/chrome    2.7  2.5
 3824 1000     /opt/google/chrome/chrome -  2.6  0.6
 3936 1000     /opt/google/chrome/chrome -  2.4  1.6
 2936 1000     /usr/bin/plasma-desktop      2.3  0.2
 9666 1000     /opt/google/chrome/chrome -  2.1  0.8
 3842 1000     /opt/google/chrome/chrome -  2.1  0.8
 4739 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.8  1.0
 3930 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.7  1.0
 3911 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.6  0.6
 3645 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.5  0.4
 3677 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.5  0.4
 3639 1000     /opt/google/chrome/chrome -  1.4  0.4

The output would be updated every 1 second to refresh the stats. However do not think that this is similar to top.
You would notice that the output of top/htop command changes much more frequently compared to the above ps command.
This is because the top output sorts on a value that is a mix of cpu usage and memory usage. But the above ps command sorts in a more simpler manner, taking 1 column at a time (like school maths). So it would not update rapidly like top.

As sete regras do manual do ‘nunca’ para projetos. Por Max Gehringer

Após muitos problemas com projetos eles viram que faltava um líder, uma pessoa pra decidir e conduzir o trabalho. Então elegeram um líder e criaram também sete regras para balizar as decisões deste líder.

  1. Nunca peça exatamente a mesma coisa para duas pessoas, por mais claro que você seja cada uma vai entender de um jeito.
  2. Nunca acredite que uma pessoa que estudou mais que a outra, sabe mais que a outra.
  3. Nunca dê uma tarefa urgentíssima pra um funcionário que tem muito tempo livre, dê para um que esteja super ocupado.
  4. Nunca acredite que um problema já atingiu seu ponto máximo, tudo sempre pode piorar.
  5. Nunca acredite na opinião de quem não pode tomar a decisão.
  6. Nunca delegue coisas que depois você terá que explicar sozinho.
  7. Nunca tente convencer se você pode mandar.